A dor dizer não!

17 jul A dor dizer não!

“Devemos dizer não aos filhos”, “Não se pode dar tudo aquilo que os filhos querem”, essas frases são constantemente ditas e a maioria concorda com isso. Os especialistas dizem que dar limite é fundamental, e realmente é. A psicanálise, e outras disciplinas, mostram e comprovam que o limite é a mola mestre para o desejo, ou seja, sem falta não existe desejo.

        Por outro lado, a experiência clínica também mostra como é difícil para os pais dizerem “não”. Eles sabem que devem privar os filhos de algumas coisas, mas o que quase nenhum especialista fala é da lembrança ruim que se guarda ao ser privado de algo. E ainda, o quanto um pai, ou uma mãe, que sofreram falta de muitas coisas querem evitar a mesma falta, a raiva e a dor da privação em seus filhos. Afinal ser pai ou ser mãe não é também evitar que o filho sofra?

        Além disso, precisam lidar com os argumentos que os filhos usam. Muitas vezes os pais se sentem desarmados, impotentes e sem forças. Ficam em dúvida sobre o modo de agir. Ninguém conhece a linha exata entre dar demais ou ser muito restritivo. Surge então a angústia e a dor de dizer “não”.

        Muitas teorias indicam caminhos, sugerem medidas, mas é inevitável enfrentar a angústia. Fugir dos questionamentos é roubar, de si próprio, a possibilidade de ao menos, tentar analisar aquilo que pode ser “certo”, e aquilo que talvez seja “errado”.

        Cabe aos pais estabelecerem limites, ainda que enfrentando angústias, ainda que sentindo a dor de dizer não.

Márcia Tolotti

Nenhum comentário.

Adicione um comentário