As Emoções são voláteis

17 nov As Emoções são voláteis

A grande maioria dos investidores tomam decisões sob a influência das emoções ainda que não percebam isso. Daí entra o inconsciente, uma região mental quase inacessível, porém fortemente influenciadora. Mas, nem todos são afetados da mesma maneira e embora muitos não saibam qual é a influência afetiva em questão, conseguem “gerenciar as emoções” de forma mais adequada que outros.

A gestão eficaz da volatilidade das emoções diante do dinheiro é uma das principais diferenças entre um investidor bem sucedido e um mal sucedido. Desta forma, a busca não deve ser pelo trancafiamento ou pela ausência de afetos nas das tomadas de decisões, mas sim pela gestão adequada das emoções. Para alguns, os afetos são mais facilmente gerenciáveis e uma das razões é o grau de reconhecimento, ou seja, não negam para si, as próprias emoções e as usam a seu favor. Por outro lado, existem pessoas cujos afetos são desconhecidos, em geral, são mais intensos e inconstantes, causando prejuízos inclusive financeiros. Nestes casos, o autoconhecimento é uma ferramenta necessária para enfrentar a volatilidade emocional.

Quando o mercado afetivo interno se mostrar muito volátil, isto é, quando da certeza ao medo, da ganância ao desânimo ou da euforia à insegurança houver uma oscilação significativa num curto espaço de tempo, é um indicador de grande risco à vista, e o que faz um investidor bem sucedido diante de um cenário assim? A sua resposta será outro indicador do grau de volatilidade das emoções e da eficácia da ordem stop afetiva que cada um consegue estabelecer!

Márcia Tolotti

Tags:
Nenhum comentário.

Adicione um comentário