Por que, nem sempre quem precisa, aproveita as oportunidades?

14 nov Por que, nem sempre quem precisa, aproveita as oportunidades?

Estudos apoiados pela Ford Foundation e Omidyar Network, e, realizado pela ideas42 demonstraram que uma das formas de auxiliar colaboradores em situação de endividamento é desenhar um programa que possa auxilia-los na busca de soluções. Infelizmente, também concluíram que há uma desistência dos programas de educação financeiras.

Os estudos sugerem 3 ações principais para os planos não ficarem pelo caminho:
1. Ajudar que passem das intenções para as ações (em economizar);
2. Oferecer ferramentas para gestão de fluxo de caixa;
3. Construir uma relação de confiança.

O terceiro ponto é o mais complexo de solucionar e o principal responsável pelo abandono dos programas,

“Pois quem está endividado ocupa o tempo pensando ou “correndo” atrás de alternativas para sanar os problemas financeiros. “

Além disso, vivem um estado de alta tensão cognitiva e uma dose de desconfiança em relação aos profissionais ou programas que tentam ajudá-los.

A saída é não desistir de oferecer ajudar, ao contrário, a persistência gera consistência. Ainda temos um campo inexplorado nas empresas para tornar o problema que se avoluma – endividamento pessoal – em estratégia e oportunidade de melhoria produtiva e impacto social. Sobretudo, ainda temos muito caminho a percorrer para resgatar ou mesmo construir confiança. Afinal, em um país em que a “vantagem” é quase sempre a primeira alternativa, não é tão simples inspirar credibilidade.

“Por outro lado, empresas que tiram do papel e das placas das paredes os princípios éticos e investem genuinamente em seu capital humano, colhem frutos com colaboradores engajados. “

O respeito, a consideração e a educação são devolvidos na mesma moeda, e sim, no Brasil essa também é tarefa das empresas, ao menos daquelas que não pretendem mais repetir o modelo de negociação ganha-perde e optam pela negociação ganha-ganha com clientes, fornecedores e colaboradores. É fazer isso ou esperar pelo governo, o que você vai escolher?

Nenhum comentário.

Adicione um comentário